domingo, 7 de julho de 2013

Bate e volta a Évora

Évora: o templo romano e a Capela dos Lóios
Música do Alentejo no Largo do Giraldo - veja o vídeo (1'00")


video

Se você procura uma cidade linda para fazer um bate e volta a partir de Lisboa, Évora aguarda sua visita. É verdade que essa preciosidade do Alentejo merece mais do que só um diazinho, mas vai ser um dia tão maravilhoso que vai valer por uma vida.

O trajeto entre Lisboa e Évora já é bacana, com a travessia da encantadora Planície Alentejana pontilhada de plantações e pequenas aldeias. Viajei até lá em um ônibus confortável, com WiFi gratuito e janelões debruçados sobre oliveiras e trigais.

Veja como foi essa viagem adorável e aproveite as dicas:


Entalhados no portal da Catedral, os Apóstolos recebem os fiéis na entrada do edifício construído entre os séculos 11 e 12
Fundada pelos romanos, como atesta o belo Templo de Diana, que domina o Largo do Conde de Vila Flor — o monumento romano mais preservado em terras portuguesas —, Évora foi um importante baluarte da Reconquista portuguesa desde que foi tomada dos mouros pelo nobre meio bandoleiro Geraldo Sem Pavor, no século 12.

O principal edifício medieval da cidade é a Sé Catedral, que, como tantas erguidas na mesma época, na Península Ibérica, tem evidentes traços militares em sua fisionomia. A igreja é um orgulho dos eborenses.

A Catedral de Évora tem a arquitetura característica 
dos templos da época da Reconquista (a luta dos cristãos para expulsar os muçulmanos, no Século 12), repetindo nos edifícios religiosos aspectos militares, como muralhas e ameias
As ruas de Évora
No dia da nossa visita, fazia um frio inclemente, sob um dos céus mais  azuis que já vi na Europa. O sol de inverno faz um bem danado àquelas pedras centenárias. É um prazer caminhar pela cidade de subidas e declives suaves.

As ruas são um emaranhado de becos medievais e arcadas que, a Oeste do Largo do Giraldo, vão rolando devagarzinho seu calçamento irregular na direção dos restos da Cerca Nova, a muralha medieval dos mouros, reforçada pelos cristãos, após a Reconquista (a cerca velha seria a muralha romana).

A fogueira natalina no Largo do Giraldo ajudava a espantar o frio. O nome da praça homenageia Geraldo sem Pavor, herói da tomada de Évora aos muçulmanos

O Templo Romano, no Largo do Conde de Vila Flor, com a torre da Catedral, ao fundo. Embora apresentada como "Templo de Diana", a construção romana era dedicada ao Imperador Augusto, venerado como divindade
Claro que a primeira coisa que quis ver em Évora foi o Templo Romano, popularmente conhecido como "Templo de Diana", a deusa da caça, da lua, celibatária e pré-feminista. Os estudos históricos apontam, porém, para uma consagração menos lírica: ele teria sido, na verdade, dedicado ao culto do Imperador Augusto, alçado à condição de divindade durante seu reinado, iniciado no ano 29 a.C.

No entorno do templo ficam duas outras atrações imperdíveis da cidade, a Catedral e o conjunto arquitetônico do Palácio dos Duques de Cadaval, que abriga um mosteiro e a linda Capela dos Lóios, do Século XV. O mais gostoso de Évora, porém,  é passear entre edifícios menos oficiais, descendo as ruazinhas que vão da Catedral ao Largo da Porta de Moura e, de lá, seguindo pelo Largo d'Álvaro Velho, uma região simpaticíssima, com cara de lugar onde mora gente, como atestam as pequenas delicadezas que conferem identidade a cada uma de suas fachadas.

Os azulejos foram acrescentados à Capela dos Lóios no Século 17
Dedicada a São João Evangelista, a Capela dos Lóios integra o conjunto arquitetônico dos Palácio dos Duques de Cadaval, erguido sobre as ruínas da praça forte dos mouros. Esta tribuna era usada pelos duques para assistir as missas
Para os mais preguiçosos, os passeios de charrete por todo o centro histórico podem ser contratados na porta da Catedral, a partir de €15 por 45 minutos de percurso. Eu, porém, palmilhei toda a região a pé.

Quando  finalmente retornei ao Largo do Giraldo, estava mesmo carente de uma travessa (na verdade, uma telha) transbordante de migas alentejanas e algumas taças de vinho para repor as energias. A fogueira natalina acesa a poucos metros da nossa mesa ajudou a esquentar o corpo. E quando achei que a festa estava completa, um grupo de amigos da cidade, na mesa ao lado, deu início ao um delicioso concerto de música alentejana, para aquecer a alma e me fazer jurar que vou voltar.

Simpático até no nome: Largo d'Álvaro Velho. À direita, uma evocação das "fachadas dos sobrados da velha São Salvador" 
Catedral de Évora
Mais sobre Évora
Dicas práticas
As melhores atrações de Évora
Passeio bacana nos arredores: Castelo de Montemor-o-Novo

Como chegar a Évora
Os ônibus da Rede Expressos de Lisboa para Évora partem da Estação Sete Rios (Praça Marechal Humberto Delgado), interligada ao Metrô (Estação Jardim Zoológico- Linha Azul). A viagem dura 1h45min, com WiFi gratuito a bordo. Em dezembro, paguei € 11,25 no bilhete de ida e volta. Na pesquisa que acabei de fazer, porém, o valor já está em  €22,20.

Grupo de amigos alegra o Largo do Giraldo 
com música típica alentejana. Super generosos, 
fizeram com que cada pessoa que estava na praça 
se sentisse convidada para a festa
Roteiros em Portugal
20 dias em Portugal - roteiro de carro
Roteiro de carro redondinho: de Lisboa a Santiago de Compostela

Dicas gerais
De carro em Portugal: como organizar sua viagem
Portugal: 8 razões pra voltar (sempre e muito)
Dicas práticas: de carro entre Lisboa e Santiago de Compostela
Os viajantes, as crises e a vida real
Perdida na tradução: o Português de Portugal


Para ver todos os posts e destinos do blog em Portugal, clique nos ícones do mapa




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

9 comentários:

  1. Oi, Cynthia. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia

    ResponderExcluir
  2. Évora é sem qualquer dúvida uma das joias de Portugal, tantas vezes esquecida nos roteiros dos turistas que nos visitam. é um enorme prazer passear pelas suas ruas e sentir que se viajou uns 3 ou 4 seculos no tempo. Agora uma dica: évora no verão é o maior inferno com temperatuas por vezes superiores a 40ºC, é preciso muita coragem para enfrentar este calor, mas a visita à cidade é super compensadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande dica, Luffi. Só estive em Portugal no verão uma vez, em Lisboa, e era páreo para o Rio de Janeiro (sem a praia, rssss).

      Excluir
  3. Oi Cyntia! Irei a Lisboa em junho, incluí Évora ..Será que o calor já estará no "auge"? Não acredito que sentirei calor em euros..snif..snif!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, também estou torcendo para o verão ser camarada, pois também estarei em Portugal neste junho :)

      Excluir
  4. Que maravilha. Vou!

    ResponderExcluir
  5. Cynthia, estou programado para estar em Lisboa a partir de 12 de outubro, gostaria de ir a Évora num domingo, o que você acha? Ou seria melhor num outro dia? Um dia só dá para conhecer uma vincula também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carlos, Évora tem muita coisa legal pra ver, mas se vc só tiver um dia, dá pra ver o básico. Se você quiser explorar melhor a cidade e arredores, naturalmente, um bate e volta não vai dar conta. Quanto ao domingo, fora da alta temporada, não acredito que comprometa. Aproveite a bela Évora :)

      Excluir