quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Grandes Viagens:
Um livro para inspirar aventuras


Planejar uma viagem é quase tão bom quanto viajar
Cheguei em casa tarde, depois de um dia pancadão de trabalho, e ele estava me esperando. O livro Grandes Viagens virou um sonho de consumo fulminante, desde que li a resenha publicada num desses cadernos B (não lembro de qual jornal), no último domingo. Como sou rápida no gatilho, comprei pela internet e a encomenda chegou hoje e já virei a edição do avesso, babando com as rotas compiladas pela equipe do Lonely Planet.

Ao longo de 310 páginas, 74 roteiros foram agrupados por temas. Estradas legendárias, ferrovias de sonho, rotas históricas por terra e por mar e roteiros literários deixam a gente suspirando porque, afinal, a vida sempre será muito curta para percorrer todos esses caminhos.

Em geral, sou muito mais escolhida pelos destinos do que escolho para onde vou. Minha inspiração para cair no mundo às vezes vem de um simples acorde musical (uma canção inteira pode me propor uma odisseia e tenho convicção de que todos os livros e filmes do planeta falam sobre viagens (é só olhar direito que a viagem está lá). Uma vez acesa a chama, eu piro, pesquiso, sonho... Mas, de vez em quando, é bom encontrar tantas rotas fascinantes reunidas num único volume.

A Costa Amalfitana é um dos 74 roteiros sugeridos no livro
(Catedral de San Andrea, em Amalfi - novembro de 2007)
Já selecionei três roteiros que quero fazer logo: o Rio Mekong, pela China, Laos, Cambodja e Vietnã, a Ferrovia do Ghan, que corta a Austrália de Norte a Sul, de Adelaide a Darwin, e atravessa o Outback, e a Ferrovia African Pride, pela África do Sul, Botsuana, Zimbábue, Zâmbia e Tanzânia, passando pelas Cataratas de Vitória. Muitas das rotas sugeridas são perfeitamente encaráveis por mulheres viajando sozinhas, mesmo que isso requeira um pouquinho mais de planejamento.

Só não vou ficar sem dormir de ansiedade para botar o pé na estrada porque alguns dos cenários sugeridos já fazem parte das minhas melhores memórias de viagem, como o Caminho de Santiago, que percorri em 2005, a Costa Amalfitana, que me hipnotizou em 2007 (viagens que narrei aqui na Fragata), e a navegação do Rio Amazonas, que fiz em 1993, durante duas das semanas mais bacanas da minha vida.

Se eu sumir da Fragata, diz que eu fui por aí, fazer a Rota da Seda...

O Caminho de Santiago tem paisagens assim
(Vinhedo na trilha para Caldas de Reis - julho de 2005)
Grandes Viagens- Editora Globo, R$ 59,90, na Livraria Cultura. Se pedir pela internet, lembre que tem o acréscimo do frete. O prazo de entrega, para Brasília, foi de um dia útil. Não espere encontrar um guia mastigadinho, com receitas do tipo "como chegar", preços e dicas de hospedagem e restaurantes. O propósito do livro é muito mais inspirar do que dar o mapa da mina. Afinal, pesquisar e planejar uma viagem é quase tão bom quanto viajar. Divirta-se!

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário