sábado, 16 de junho de 2012

Sabores de Minas:
azedinha e ora-pro-nobis

Azedinha (à esquerda) e ora-pro-nobis: quem disse que a comida mineira é só aquele monte de calorias?
Tenho muitas devoções. Uma das mais fervorosas é ao frango com quiabo, invenção que sempre me provocou profunda reverência à cozinha mineira. Como não sou monoteísta, também aproveito as andanças por Minas para prestar meus respeitos à vaca atolada, às costelinhas, tutus, leitões e aquela couve que só se faz naquelas bandas. E o bom é que o repertório não esgota.

Nessa viagem mais recente ao estado, resolvi pegar mais leve na comilança, sem abrir mão dos sabores locais. Ainda bem que existem a Azedinha e a Ora-pro-nobis, folhinhas muito saudáveis e saborosas. A Azedinha eu ainda não tinha provado e descobri no refeitório do Santuário do Caraça
Igreja do Caraça: depois de explorar o santuário, fui devidamente apresentada à azedinha
Ando cada dia mais herbívora e amei a ideia de uma folha que já vem com tempero. Como o nome sugere, ela já traz um toque de limão (ou vinagre, para alguns) e a textura exata para o meu gosto, macia, sem deixar de fazer crunch-crunch na mastigação. Uma saladinha de alface roxa com Azedinha é simplesmente um espetáculo.

Ora-pro-nobis eu já tinha provado, refogadinha, acompanhando o tutu, no lugar da couve. Uma delícia. Desta vez, encontrei-a num restaurante, em Sabará, acompanhado um franguinho ensopado de rasgar a roupa.

Em Sabará, além de almoçar um franguinho com ora-pro-nobis dos deuses, ainda vi lindezas como a Igreja do Carmo
Alguém a descreveu a ora-pro-nobis como "prima da escarola". Por mais que eu goste de escarola -- tem coisa mais paulistanamente deliciosa que pizza de escarola? -- sou obrigada a discordar, pois ora-pro-nobis tem um amarguinho diferente, um gostinho de Minas que só ela. Vou tentar achar a plantinha aqui em Brasília, porque dessa vez eu me apaixonei de verdade.

Bacana também é que na pesquisa de imagens para esse post -- eu nunca lembro de fotografar o que estou comendo-- acabei descobrindo um blog muito, muito legal. Chama-se Come-se e é uma festa para quem gosta de cozinhar ou, meu caso, simplesmente experimentar sabores diferentes. Aliás, uma ótima fonte para quem quiser mais informações sobre Azedinha, Ora-pro-nobis e outras delicadezas que a simplicidade oferece ao paladar.

Minas: não bastasse a paisagem e o patrimônio histórico, aquela terra ainda bate um bolão na culinária
(Serra do Espinhaço)
A autora de Come-se é Neide Rigo, que sabe tudo das alquimias da cozinha. O que eu mais curti é que ela passa longe daquele tom afetado que hoje os "entendidos de culinária" adotam  ao tratar do assunto. O blog de Neide lembra aquelas reuniões com amigos numa cozinha grande, onde a gente bate papo e beberica enquanto prepara a refeição. Já estou seguindo e recomendo.

A cidade de Sabará organiza um festival de ora-pro-nobis, com degustações, oficinas de culinária, shows e festas. O de 2012 foi realizado em maio.




Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário