quinta-feira, 3 de maio de 2012

Roteiro pelas cidades históricas de Minas

Igreja do Carmo, em Mariana
Quando eu criança, achava que Minas era um lugar azul, envolto numa bruma suave e meio dourada. Não adiantava passar por lá todos os janeiros, descendo a Rio-Bahia com a família, a caminho das férias em Amparo (SP), na fazenda dos meus tios. 

A realidade, tão bonita com suas montanhas e casario colonial, nunca foi páreo para a visão mágica que se tinha do terreiro da Fazenda Campineiro: quando o sol começava a cair, a gente podia esticar a vista e a imaginação e enxergar um contorno de serra. Era quando alguém dizia: “Lá longe é Minas Gerais”.



Adorei os lambrequins desta fachada
no Largo Nossa Senhora do Ó, em Sabará
Essa "fantasia de Minas" sempre me acompanhou e jamais foi desmentida. Ela alimenta meu encanto pelo relevo exuberante, pelas janelas dos sobrados e pelos calçamentos de pedra que ainda me fazem ouvir o cling-clang das rodas das carruagens. A caminho de Amparo, era lei parar em Ouro Preto, Congonhas ou Mariana, a materialização das fantasias inspiradas por aquela montanha azul e desfocada que eu via no horizonte.


Fachadas e telhados de Ouro Preto
Olha a minha cara de felicidade chegando em Ouro Preto
Minas me ensinou a paixão incondicional pelas cidades coloniais, parte essencial da beleza desse nosso continente. Neste feriadão de Primeiro de Maio, fui rever suas preciosidades setecentistas. Baseada em Belo Horizonte, visitei Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Sabará e o Santuário do Caraça. Foi uma jornada de reencontro, de ótimas surpresas (BH, por exemplo, está muito bacana) e de certa preocupação com o crescimento desordenado que sufoca o patrimônio histórico de algumas cidades.

A cabeça toda branquinha e essa moradora de Congonhas ainda trabalha, colhendo talos de plantas para fazer cestos

Lojinha de artesanato em Ouro Preto
Veja como foi meu passeio em Minas
O trem azul para o Caraça - Minha viagem no trem BH-Vitória até Barão de Cocais e a visita ao Santuário do Caraça, patrimônio histórico cercada por uma rica reserva florestal.

Fachadas na Rua Direita, em Sabará
Ouro Preto, um tesouro que não sai de moda
Belo Horizonte: a sedução do Mercado Muncipal
BH: o charme modernista da Pampulha
Dicas práticas de BH e para viagens curtas às cidades históricas
Buenos Aires com montanhas? O charme de BH


Leia também
Fim de semana em São João del Rei e Tiradentes

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário