quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Colonia del Sacramento:
Dicas práticas e passeios

Final de tarde à beira do Prata: um dos encantos de Colonia
Como chegar 
De Montevidéu
A chegada a Colonia
De carro - Pela Ruta 1, Colonia está a 177 quilômetros de Montevidéu. A estrada é um tapete, quase uma única reta (cuidado para não se distrair), muito bem sinalizada. Para quem está perto da Plaza Independencia ou da Ciudad Vieja, na capital, a melhor maneira de pegar a estrada é seguir pela Rambla Franklin Roosevelt, que, logo depois do Porto, se converte na Ruta 1.

Fica atenta ao trecho que vem logo que você passar o Pedágio (50 Pesos Uruguaios, cerca de R$ 4,00), depois de Rio Santa Lucia, a cerca de 30 km da capital, pois há duas breves interrupções na duplicação da pista (informação de janeiro de 2011, se alguém já passou por lá e constatou a conclusão dos trechos, please, avise na caixinha de comentários).

A antiga estação de trens de Colonia, hoje desativada
De ônibus - O ponto de partida é a Rodoviária de Tres Cruces, no Boulevard General Artigas, perto do Estádio Centenário. 

A Buquebus, que opera catamarãs e ferries daqui para Buenos Aires, também oferece a opção de um ônibus partindo de Montevidéu, com algumas horinhas para ver a Colonia antes da travessia do Prata. O esquema é cômodo, mas logo que bater os olhos em Colonia você vai perceber que ela merece mais tempo de visita.

Como chegar de Buenos Aires
Buenos Aires fica logo ali, do outro lado do Prata
Para a travessia do Rio da Prata, o viajante pode optar entre a Buquebus e a Seacat, com preços similares. Os catamarãs fazem o percurso em 50 minutos (cerca de R$ 80,00. Quem compra o bilhete de ida e volta encontra preços mais em conta no site). A viagem nos ferries é mais barata, mas muito mais lenta: cerca de três horas.

Onde ficar
Posada El Capullo
Calle 18 de Julio n° 219, Barrio Histórico


Pousada El Capullo: boa localização, o charme de uma casa antiga e quartos muito básicos
A meia quadra da Plaza de Armas, a pousada El Capullo tem como principal trunfo o jardim e a piscina, perfeitos no calorão do verão. Fica numa casa antiga, restaurada, bem típica de Colonia — as fachadas simples não dão ideia da amplidão do interior desses imóveis, onde os ambientes geralmente se abrem para um pátio ou área verde.

O jardim e a piscina da pousada El Capullo
O lugar é bem charmosinho e descolado, mas achei o quarto standard excessivamente básico. O meu era em frente à recepção, sem janela. O mobiliário também é econômico: a cama e uma mesinha de cabeceira e só. O banheiro até que era amplo, comparado com o quarto.

A pousada tem apartamentos melhores, no andar superior (sim, essa é outra surpresa de Colonia, as casas parecem térreas, vistas da rua, mas geralmente têm um segundo andar).

Diárias a US$ 70, no single. Fiquei lá em janeiro de 2011.

Posada del Virrey
Calle de España, 217



Fiquei hospedada aqui, em 2006, e amei o lugar, um casarão antigo muito bem restaurado, com móveis de época e quartos muito aconchegantes — a  cama é digna da história de Cachinhos Dourados.

O pátio coberto, no centro do edifício, virou uma sala de estar confortável e muito bonita. Recomendo com entusiasmo.

Fica pertinho do antigo píer e tem diárias de US$ 100, no apartamento single. Fiquei hospedada lá em outubro de 2006.

O que fazer em Colonia


O mais gostoso, em Colonia, é caminhar à toa,
 namorando as fachadas antiguinhas da cidade
Visitar os museus
Por apenas 50 pesos uruguaios (R$ 4), compra-se um bilhete de entrada para os sete museus municipais de Colonia. São pequenos, sem grandes espetáculos no acervo, mas vale a pena visitá-los, especialmente o Museo Casa Nacarello e o Museo Bautista Rebuffo. Para maiores informações: consulte o blog dos museus de Colonia 

Passear no Bastión Del Carmen

Ao lado do Puerto Viejo, hoje uma marina sempre cheia de veleiros, fica esse centro cultural construído sobre antigas fortificações da cidade. Além de um teatro e uma galeria de arte, tem um jardim maravilhoso, debruçado sobre o Rio da Prata, excelente lugar para caminhar ao cair da tarde. Fica na Calle Rivadávia.

O Porto Velho e, ao fundo, o Bastião del Carmen
Relaxar no "jardim secreto" do Lentas Maravillas
Calle Santa Rita n° 61
Lentas Maravillas, uma casa de chá para esquecer do mundo
A mais perfeita tradução de Colonia é o sossegado jardim desta casa de chá, um recanto à beira d'água, abrigado da rua e bem de frente para o crepúsculo, que no Rio da Prata é dos mais bonitos que já vi.

Só uma plaquinha na porta identifica o lugar, que se auto-intitula "el merendero escondido de Colonia". Tem uma sala aconchegante, com vista para o Rio da Prata, que oferece livros, revistas e internet wi-fi.

A Marina do Porto Velho,
em frente ao jardim do Lentas Maravillas
Se o tempo estiver bom, prefira o jardim, onde poltronas butterfly convidam a momentos bem preguiçosos, bebericando uma ou duas taças de Stagnari Blush, acompanhadas de muffin de mandarina (tangerina), com geleia de framboesa.

Depois de uma tarde aqui, no mais completo silêncio, a gente está pronta para olhar o planeta com aquele distanciamento crítico e condescendente de quem sabe que os pequenos paraísos existem e estão por aí, prontos para que tropecemos neles.

Ver a vastidão do Prata do alto do Farol
O farol de Colonia
Sim, são 118 degraus, mas quando você chegar lá no alto, vai ficar na dúvida se está sem fôlego pelo esforço da subida ou pela beleza da paisagem. São 360 graus de visão -- num dia claro e com o ângulo correto do sol, dá para ver Buenos Aires, do outro lado da água). Não se assuste com a base do farol em ruínas: ele foi construído sobre os vestígios do antigo convento de San Francisco, do Século 17.



Onde comer
Gosto muito da Pulperia los Faroles (Calle Misiones de los Tapes 101, esquina com Calle del Comercio), sempre muito concorrida, especializada em frutos do mar. Funciona das 9h à meia noite, pois também é uma cafeteria.

O El Cali, na Plaza Mayor, tem a vantagem das mesinhas à sombra, num dos lugares mais gostosos da cidade e é bom para uma refeição rápida. Recomendo as empanadas.

O Anjo Preto, na Calle Vasconcellos163, tem mesas na calçada, com vista para a Plaza de Armas e serve uma boa cazuela de mariscos, com uma fatia gigantesca de pudim de leite, acompanhada de doce de leite, na sobremesa. Com vinho, a refeição custou 790 pesos uruguaios (R$80).

Como circular
Uma rua de Colonia e o carrinho de golfe que usei, em uma das visitas à cidade
Deixe a preguiça em casa e caminhe bastante. A cidade é uma pequena preciosidade e tem mil cantinhos maravilhosos a serem descobertos.

Os casos terminais de sedentarismo, porém, podem optar pelos carrinhos de golfe (US$ 70), scooters ou mini-buggies, oferecidos para aluguel em diversas agências. Podem ser uma boa opção para conhecer a Rambla, a Plaza de Toros e outras áreas mais distantes do Barrio Histórico. Mas, pelamordedeus, não abuse: Roma é a cidade mais linda do mundo, mas está empesteada pelo barulho dos motorinos. Não vamos fazer o mesmo com Colonia, tá?

Na chegada à cidade - Se você vem de ferry, de Buenos Aires, leve em conta que do Porto ao Barrio Histórico a caminhada é curtinha, mas o calçamento irregular não é propício a arrastar a mala de rodinhas pela rua. Por sorte, táxi aqui é bem barato e o percurso vai custar cerca de 100 pesos uruguaios (R$ 8).

O Uruguai na Fragata Surprise
Montevidéu
Punta del Este

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário