sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Pachacamac,
camarote para o poente

O sítio arqueológico de Pachacamac fica
a 30 km do centro de Lima
O “mormaço seco” que cobre Lima é apenas uma das intrigantes características do clima da capital peruana. Sob o céu eternamente nublado, a sensação é de abafamento permanente, como a que precede os temporais nas áreas próximas à Linha do Equador.

Mas não há umidade alguma: estamos no deserto. As maioria das casas sequer se dá ao luxo de ter telhado, basta a laje... O índice pluviométrico fica em ínfimos 5mm de chuva anuais — no Rio de Janeiro, chove entre 1.000 e 1.500 mm por ano, em média.

As ruínas se confundem com a paisagem árida...
...em contraste com o o fértil vale do Lurín, ao fundo
É surpreendente, portanto, nos depararmos com os vales verdes, exuberantes, que cortam a paisagem árida, de um marrom acinzentado que dá sede só de olhar. É sobre um desses vales, o do Rio Lurín, em frente ao Pacífico, que está o antigo santuário de Pachacamac, 30 quilômetros ao sul de Lima. 

Fundado pela Cultura Lima (Século II A.C) e posteriormente transformado em importante oráculo e centro administrativo da Cultura Wari, o lugar foi absorvido pelos conquistadores incas, que incorporaram suas deidades — Pachacamac, em quéchua, quer dizer “organizador da terra”. A principal intervenção dos incas no local foi a construção do Templo do Sol, um privilegiado camarote para o poente e o Pacífico..



São quase 500 hectares ainda em processo de investigação arqueológica e um pequeno museu onde estão expostos alguns artefatos encontrados nas escavações. Nem pense em percorrer a área a pé-- a não ser que você tenha um camelo como antepassado (bem) próximo. Nós fomos de van, num tour contratado pela internet.

Alguns trechos estão em escavação e, portanto, fechados à visitação. O Templo do Sol, na parte mais alta, é maravilhoso. O ponto alto é o "mirante" para o Pacífico, onde os sacerdotes e potentados sentavam-se em tronos escavados na pedra para admirar o pôr do sol. Na região de Lima, "olhar a paisagem" é sempre algo mais próximo de adivinhá-la por entre a névoa, mas, aqui, o exercício é espetacular.

O Vale do Lurín visto do alto das ruínas
Santuário e Museu de Pachacamac- Antigua Panamericana Sur Km. 31.5 / Distrito de Lurín. Visitas de terça a domingo, das 9h às 17h. Ingressos: 6 Soles. As visitas precisam ser agendadas com uma semana de antecedência, pelo telefone (01) 430-0168 ou pelo e-mail  museopachacamac@perucultural.org.pe. Não são permitidas visitas sem guia. A providência é dispensada para quem vem em tour contratado.

Ao lado das ruínas, a Vila de Pachacamac
Mais sobre Lima
Eu gosto de Lima - e tenho vários motivos
O que fazer em Lima
Matando a saudade do ceviche: onde comer em Lima

O Peru na Fragata Surprise
Andahuaylillas
Cusco
Machu Picchu
Pucará
Puno
Raqchi
Vale do Urubamba


Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.
Navegue com a Fragata Surprise 
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário