terça-feira, 20 de novembro de 2007

Um passeio por Sorrento

Claustro de São Francisco, em Sorrento
Porta de entrada para a Costa Amalfitana, Sorrento é um destino de verão, desde criancinha. Durante a Era Romana, era um refúgio concorrido dos patrícios (a aristocracia), como suas vizinhas Pompeia e Herculano. Nos Séculos 18 e 19, Sorrento era parada obrigatória dos cavalheiros que faziam o Grand Tour pela Itália, uma espécie de rito de passagem ou "pós graduação" para quem queria ser reconhecido como homem do mundo naquela época.

Entrando e saindo de moda ao longo dos séculos, ela manteve seu jeitão de balneário elegante, mas com um jeitinho aconchegante que cativa de cara.

O claustro e o campanário da igreja
Cheguei a Sorrento de um jeito bem plebeu, no ônibus da Sitabus que percorre a Costiera Amalfitana, ligando as diversas cidades daquele pedaço tão especial de mundo. De Amalfi até lá a viagem dura cerca de uma hora e meia e confesso que estava mais interessada em passear pela estrada lindona do que em visitar a cidade. Que pecado, pois Sorrento merecia muito mais do que as horinhas que eu lhe dediquei.

Pra começar, a paisagem é fantástica. Encarapitada no alto de um rochedo e de cara para o Golfo de Nápoles, a cidade tem uma vista espetacular para o Vesúvio. E o patrimônio histórico também vale a viagem.

O melhor programa em Sorrento é se debruçar sobre o mar... Na imagem, a Marina Piccola, de onde partem barcos para Capri
Por exemplo, o Chiostro di San Francesco, (claustro de São Francisco), do Século 14. Ele faz parte de um belo complexo medieval que fica a poucos passos do calçadão da Villa Comunale e das atrações mais conhecidas de Sorrento (todas mais ou menos ligadas à memória do Grand Tour dos séculos 18 e 19 e à boemia elegante que caracterizou a cidade até os anos 60).

Antes de entrar no claustro, visite a Igreja de São Francisco, ricamente decorada em estuque e mosaicos pietre dure (feitos em mármores de diversas tonalidades e bem comuns na região da Costiera), também do Século 14 e construída sobre um antigo oratório que teria sido fundado por Santo Antonino, o patrono da cidade, no Século 7.

O interior da Igreja de São Francisco
Quando visitei o claustro, estava absolutamente sozinha e o silêncio e o sossego eram indescritíveis. Ele não é grande nem espetaculoso, seus grandes encantos são a simplicidade e o feliz encontro de diversos elementos arquitetônicos (até porque grande parte dos elementos usados em sua construção foram pilhados de ruínas gregas, romanas e etruscas).

Mas a calma que encontrei lá só é possível nos meses de baixa estação, pois o lugar é usado para exposições, concertos e eventos sociais, durante o verão.


Também faz parte do conjunto arquitetônico de San Francesco o edifício onde funcionou o mosteiro franciscano, hoje sede do Istituto Statale d'Arte.


O coração do Centro Histórico de Sorrento é a Piazza Tasso, homenagem da cidade a um dos seus filhos mais ilustres, o poeta Torquato Tasso (Século 16), autor de Jerusalém Libertada, um épico sobre as Cruzadas. A praça é do Século 19, cercada por casarões da época, muitos deles convertidos em hotéis.

Piazza Tasso, coração de Sorrento
Ver uma cidade tão vocacionada para o verão em pleno novembro tem lá sua graça: as ruas estão calmas, as mesinhas de calçada dos bares e cafés atraem poucos frequentadores, mas a sensação de "vida normal" é reconfortante. Sorrento tem pouco mais que 15 mil habitantes e fora de temporada é muito sossegada.

Também gostei muito dos preços das peças em faiança e cerâmica que encontrei na Via San Cesario, no centrinho, bem mais em conta do que as que olhei em Amalfi.

Como chegar

Como já falei, fui a Sorrento de ônibus, saindo de Amalfi, onde estava hospedada. Os ônibus da Sitabus interligam as cidades da Costiera Amalfitana a Nápoles, no Norte, e Salerno, ao Sul, e fazem paradas na cidade. Viajar na linha Sorrento-Positano-Amalfi é um show de imagem estonteantes ao longo da estrada. Prepare-se para as curvas muito fechadas e para a sensação de estar sempre a centímetros do abismo mais lindo que você vai ver na sua vida, com o mar azulzão láááá em baixo. 

Para viajar entre Amalfi a Sorrento, o bilhete válido é o Unico Costiera, cujos preços variam de acordo com a duração do trajeto. Para um percurso de uma hora e meia, paga-se €3,40, mas, se eu fosse você, comprava o biglietto giornaliero (válido para 24 horas), que custa €6,80 - informações atualizadas em março de 2015. Confira os horários dos ônibus aqui

Se você estiver em Nápoles, pode escolher o barco, o trem ou o ônibus para ir a Sorrento


Quando fui de Nápoles para Amalfi, o ônibus fez uma parada lá. Ele parte do Mollo Immacolatella, no Porto de Nápoles. Para ver mais detalhes, leia este post. Para checar os horários, consulte o site da Sitabus. O bilhete válido para a viagem é o Unico Costiera. Também há uma linha de ônibus ligando o Aeroporto Capodichino a Sorrento.

Se você escolher o trem, prepare-se, pois as composições da Cincumvesuviana costumam viajar abarrotadas. Confira este post, onde conto sobre a viagem para Herculano e Pompeia, para ver os detalhes. De Nápoles a Sorrento a viagem dura 1h10min. Você pode usar o Unico Costiera para fazer o trajeto.

O Vesúvio visto do píer de Sorrento
A viagem de barco de Nápoles a Sorrento é a única que eu não testei, mas quem já fez diz que é uma maravilha, por conta da paisagem. Também é o jeito mais rápido (e mais caro) de chegar, pois o percurso com o Hidrofólio Alilauro leva 40 minutos. A partida é do Mollo Beverello e a passagem custa €11 (cada trecho). Confira horários e detalhes no site da Alilauro.  

Mapa-índice de destinos na Itália, com dicas de atrações, roteiros, hospedagem, restaurantes e transporte. Clique nos ícones para acessar os links


A Europa na Fragata Surprise

Curtiu este post? Deixe seu comentário na caixinha abaixo. Sua participação ajuda a melhorar e a dar vida ao blog. Se tiver alguma dúvida, eu respondo rapidinho. Por favor, não poste propaganda ou links, pois esse tipo de publicação vai direto para a caixa de spam.


Navegue com A Fragata Surprise
Twitter     Instagram    Facebook    Google+

Nenhum comentário:

Postar um comentário